Palestra online “Poder e História | os desafios da praça contemporânea” – 31 de agosto às 19h00

Palestra online “Poder e História | os desafios da praça contemporânea” – 31 de agosto às 19h00

O Consulado da Itália em Belo Horizonte, em colaboração com a Casa Fiat de Cultura e o Instituto Italiano de Cultura de São Paulo, realiza a exposição fotográfica virtual “Praças [In]visíveis”. Espaços de convivência, socialização, atividades comerciais e manifestações culturais, as praças sempre foram consideradas um ponto público de grande importância para as pessoas e as cidades. Contudo, quais contornos esses locais ganham quando um evento de impacto mundial impede as pessoas de saírem de casa? O que acontece quando os elementos vivos são retirados das praças? Esses e outros aspetos arquitetónicos, culturais e urbanos são abordados na exposição virtual disponível na página: https://pracasinvisiveis.com.br/it/

Faz parte da programação paralela a conferência online “Poder e História: os desafios da praça contemporânea”, que acontece no dia 31 de agosto às 19h no Brasil (meia-noite na Itália), com a arquiteta italiana Carlotta Pinna. O evento é gratuito com inscrição na plataforma Sympla .

As praças sempre representaram o principal espaço arquitetônico da cidade. Local de troca, sociabilidade e um símbolo de comunidade, com funções estéticas, monumentais e de lazer. Em cada época, a construção desses espaços acompanhou a evolução das cidades e da própria sociedade. Mas qual é o papel dessas praças na contemporaneidade?

Um dos grandes desafios arquitetônicos da sociedade contemporânea é buscar conexões entre os anseios das pessoas sobre as praças e sua função enquanto espaço público. Carlotta Pinna destaca que essa temática esteve ausente nas reflexões do movimento arquitetônico moderno. O foco nos problemas de habitação e do crescimento exponencial da população gerou uma visão diferente da praça: “a partir de então, era uma espécie de expressão burguesa e reduto de convenções ultrapassadas”, explica a arquiteta.

Até essa época, porém, a praça tem grande importância como local público, status que remonta desde a Antiguidade. A construção das cidades se dava em torno de espaços de convivência, com função social, estética, bem-estar social e até educacional. Na Itália, a praça tem um forte poder histórico, resultado de uma lenta construção coletiva e estratificação de diferentes linguagens arquitetônicas, com soluções específicas para cada época e local. Justamente por isso, essas praças tiveram a capacidade de persistir ao longo do tempo em que foram concebidas, projetadas e construídas, adaptando-se a um uso coletivo diferente, um ícone do espaço público por excelência. A magnitude desses espaços é tão significativa, que, mesmo em um cenário de pandemia, com grandes vazios urbanos silenciosos, eles continuam sendo símbolo de beleza renovada e evocam no espectador solitário o eco de histórias e experiências da cidade, como visto na exposição “As Praças [In]visíveis”.

Em contraponto, temos as praças contemporâneas, que reproduzem as formas históricas de espaços tradicionais. E, por isso, de acordo com Pinna, “permanecem suspensas numa aura de artificialidade fria e sinistra”. Embora sejam pensadas para compor cidades ideais, essas praças estão em lugares anônimos, projetadas a partir de uma lógica comercial. “Por isso, cabe ao arquiteto a responsabilidade de repensar a praça contemporânea, que hoje ainda não encontrou suas peculiaridades. Já o cidadão tem o poder de escolher e vivenciar o lugar que mais lhe pertence, direcionando assim as novas arquiteturas urbanas”, reflete.

Carlotta Pinna

Arquiteta, vive entre a Itália e São Paulo. Após se formar no Politecnico di Milano, obteve um mestrado em arquitetura na Technische Universiteit Delft (Holanda), com uma dissertação sobre “O papel da arquitetura e do planejamento urbano na renovação urbana das margens das cidades portuárias” e um mestrado em sustentabilidade do processo de design no Harbin Institute of Technology (China).

Trabalhou em vários escritórios entre Itália, Holanda e Portugal, desenvolvendo projetos tanto de larga escala quanto de interiores e corporativos. Colaborou com o IN / ARCH Istituto Nazionale di Architettura, trabalhando nos projetos de Processo de Regeneração Urbana de Planejamento Participativo e Processo de Design integrado.

Em 2014, fundou o Studio Habitat com o objetivo de criar uma rede de designers com experiência na área de arquitetura, design de produto e planejamento territorial e paisagístico. De 2016 a 2019, trabalhou como consultora do Departamento de Planejamento Urbano do Gabinete do Prefeito do Município de Cagliari (Itália).

Foi escolhida como embaixadora do design italiano no Brasil para o Italian Design Day 2020 “Disegnare il futuro. Sviluppo, innovazione, sostenibilità, bellezza”- promovido pelo Ministério das Relações Exteriores e Cooperação Internacional com o Ministério do Patrimônio Cultural e Atividades e Turismo, a Triennale di Milano, a Agência ICE / ITA, o Salone del Mobile di Milano, a Associação de Desenho Industrial e o Fundação Compasso d’Oro.

SERVIÇO

Palestra “Poder e História: os desafios da praça contemporânea

Palestrante: Carlotta Pinna

Mediação: Graziela Nivoloni

31 de agosto, às 19h – Ingressos gratuitos pela Sympla

Para acompanhar o Consulado da Itália em Belo Horizonte e descobrir mais conteúdos:

www.consbelohorizonte.esteri.it

www.instagram.com/italyinbh

www.twitter.com/italyinbh

www.youtube.com/c/ConsolatodItaliainBeloHorizonte

Redazione

Redazione

Lascia un commento

Il tuo indirizzo email non sarà pubblicato. I campi obbligatori sono contrassegnati *